Fale conosco pelo WhatsApp

Quais as diferenças entre startups e intraempreendedorismo?

Pessoas colocando a mão uma por cima da outra com papéis e computador em baixo.
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)
Por: Publicado em 20/05/2022

O conceito de intraempreendedorismo nasceu em 1978 – e, de lá para cá, se expandiu mais e mais

O intraempreendedorismo é a forma de nomear o empreendedorismo quando ele ocorre dentro de uma empresa já estabelecida, por iniciativa de algum funcionário ou de um grupo de funcionários. Não é algo tão conhecido como são, por exemplo, as startups – mas é muito importante.

A palavra “intraempreendedorismo” é uma adaptação para a língua portuguesa do termo inglês “intrapreneur”, o qual por sua vez é uma contração da expressão, também inglesa, “intracorporate entrepreneuring”.

O conceito foi criado pelo acadêmico americano Gifford Pinchot III. A primeira vez que o termo intraempreendedorismo surgiu foi em um artigo que ele e sua esposa, Elizabeth Pinchot, redigiram intitulado “Intraempreendedorismo Corporativo” – isso, em 1978!

Ou seja, a ideia de empreender internamente, e não externamente, já existe há nada menos que 44 anos (se bem que foi somente em 1985 que Pinchot escreveu um livro dedicado a aprofundar-se no conceito que havia lançado).

Portanto, já é hora no Brasil e no mundo, do intraempreendedorismo se tornar um dos motores da diversificação econômica e da reinvenção de empresas de pequeno, médio e grande porte.

Intraempreendimento ou startup? Suas diferenças e suas semelhanças

A outra face da moeda do intraempreendedorismo é o empreendorismo propriamente dito – ou seja, a ação de criar, a partir do zero, uma nova empresa.

Todo aquele que o faz é um empreendedor, embora às vezes somente aqueles que criam novos negócios os quais envolvam tecnologia – as chamadas startups – sejam vistos como tal (o que é um erro).

Quais as principais diferenças entre startups e intraempreendedorrismo?

Vamos conhecê-las:

  • Uma startup, ou empreendimento, geralmente surge com pouco capital, grande flexibilidade em sua gestão, ideias novas, poucos colaboradores e com fundadores dispostos a dedicarem todo seu tempo ao negócio;
  • Já um intraempreendimento é apresentado por um colaborador aos seus superiores. A ideia que ele traz também é nova, e geralmente a companhia coloca um bom dinheiro nela – mas tal iniciativa avança sob a supervisão dos altos executivos da empresa.

Intraempreendedor: quais qualidades você precisa desenvolver para ser um deles?

A prática do intraempreendedorismo pode ser levada adiante por qualquer pessoa – mas para tanto ela precisa antes desenvolver algumas características.

Quais são?

  • Interdisciplinaridade;
  • Ânimo, empolgação;
  • Proatividade;
  • Gosto pela inovação.

Além desses predicados principais, o intraempreendedorismo também requer alguns outros de quem resolve praticá-lo – secundários, mas ainda assim significativos, tais como:

  • Conhecimento analítico;
  • Capacidade de liderança;
  • Capacidade de planejamento;
  • Gosto pelo trabalho em equipe;
  • Resiliência;
  • Grande dose de criatividade;
  • Capacidade de persuasão;
  • Algum grau de autoconfiança.

Importante: estas são qualidades que você pode e deve cultivar. Não há problema em não ter nascido com elas enquanto parte natural de sua personalidade. Pessoas podem mudar suas personalidades ao longo da vida. Você é capaz, sim, de incorporar tais características.

Mais algumas observações sobre o intraempreendedorismo

Algo interessante a ser observado é que, não raro, um intraempreendedor transforma-se em um empreendedor. É grande o número de funcionários que, após inovarem em suas empresas, resolvem partir para um voo solo no mundo dos negócios. São os futuros criadores de startups.

Mas atenção: não só de startups. Qualquer empresário que abra um pequeno negócio e o faça prosperar é um empreendedor. Empresas que lançam novas tecnologias são ótimas, mas empresas que oferecem qualquer bom serviço ou produto, mesmo que não tecnológico, também são ótimas.

O intraempreendedorismo é uma prática fascinante, e extremamente necessária nos dias que correm.

Por que ensinar o intraempreendedorismo a todos através de uma palestra que fale sobre o tema?

Pois saiba que você pode contratar tal palestra entrando em contato com Eduardo Maróstica!

Ele é professor do MBA de Empreendedorismo e Novos Negócios na FGV (Fundação Getúlio Vargas), dentre outras qualificações.

Visite nosso site e saiba mais sobre os tipos de palestras realizadas por Eduardo Maróstica.

Entre em Contato

Vamos conversar? Preencha o formulário e aguarde meu contato ou se preferir, me chame no WhatsApp: (11) 98249-0054.

Ao clicar em enviar os dados, você concorda com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE